Unid. Sion: (31) 3289-8888 | Unid. Lagoa Santa: (31) 3681-6423 | Whatsapp:(31) 99683-5439
Prevenindo o surgimento de algas na piscina

Prevenindo o surgimento de algas na piscina

Aqueles que têm piscina convivem com um problema muito comum: as algas. Essa praga não é necessariamente nociva ao ser humano, mas cria condições para o desenvolvimento de bactérias que podem ser muito perigosas à saúde. Além disso, esses microrganismos afetam a estética da piscina, retirando sua beleza e tornado-a pouco convidativo para nadar.

As algas possuem um formato microscópico e se reproduzem com muita rapidez. Por serem transportadas pelo vestuário utilizado pelos banhistas, chuva e vento, não há uma forma de prevenir que se instalem na piscina, mas é possível evitar o seu desenvolvimento, eliminando-as logo no início. Condições especiais são necessárias para o desenvolvimento das algas, como um nível de pH excessivamente alto ou baixo, baixo nível do cloro ou a temperatura da água. Realizar o tratamento correto da água e com freqüência, limpando a piscina regularmente e mantendo seus componentes nos níveis idéias são medidas importantes para evitar a proliferação de algas.

Quando a prevenção é ineficiente, identificar qual o tipo de alga se instalou na piscina é importante para solucionar esse problema. Mais de 20 mil tipos de algas são conhecidos, que são agrupadas pela cor que assumem. As quatro principais são:

Algas verdes: é o tipo mais comum e que assume a coloração verde, parecida com o musgo e é encontrada geralmente nas escadas, cantos e na linha de água. Essa alga pode ser aspirada ou escovada com facilidade, mas é apenas uma solução provisória que pede um tratamento adicional. Sua proliferação é rápida e pode cobrir toda a piscina em 24 horas.

Algas amarelas: desenvolve-se, principalmente, nas paredes mais sombrias da piscina. Com uma cor acastanhada ou amarela escura, essa alga não se desenvolve facilmente, porém sua eliminação é difícil, já que é resistente à escovagem.

Algas pretas: de coloração azulada, surgem como pequenas pintas no começo e também em áreas mais profundas da piscina. Sua proliferação é gradual, de início lento, mas que se espalha com rapidez, podendo cobrir todo o revestimento da piscina.

Algas rosa: apesar de serem conhecidas como algas, são na verdade fungos. É removida e eliminada com facilidade e apresenta uma consistência espumosa na linha de água.

Como solucionar esse problema?

A primeira medida a ser tomada com o surgimento de algas é a limpeza da piscina. Aspire o local, escove bem as paredes (dando atenção especial às áreas afetadas) e esvazie o cesto do skimmer. Realize também uma limpeza do filtro. O próximo passo é ajustar o pH da piscina e, em seguida, a sanificação da água, optando por um tratamento de choque com produtos específicos.

Após isso, deixe a água fluir permanentemente por 2 a 3 dias, escovando a piscina uma a duas vezes por dia durante esse período e verificando os níveis do pH e do cloro (acima das 6 ppm é o ideal). Verifique o estado do filtro e limpe-o, caso seja preciso, pois ele pode ficar sujo com a eliminação das algas. A manutenção deve voltar à forma habitual quando os níveis de cloro estiverem próximos ao 3 ppm, sendo necessário o cuidado de escovar a piscina todos os dias no período de uma semana após o tratamento.

Fechar Menu